Este poema nos remete a tempos de escola e de lá para cá muita coisa aconteceu. Facilmente lembramos que na infância nossas preocupações eram os joelhos ralados ou
a tampa do dedão que ia junto com um super chute para marcar aquele gol tão desejado.

Um livro atemporal, publicado em 1964, em que literalmente os tempos eram outros, mas independente de tempo, uma coisa é certa, “a vida é feita de escolhas”.
Cecília Meireles escreveu este poema de fácil entendimento voltado para as crianças da época, mas que caiu no gosto de muitos, talvez pela sua simplicidade em
expressar algo tão complexo que são as “ESCOLHAS”.

 

 

Ou isto ou aquilo

Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

Cecília Meireles

 

 

 

 

 

A grande indagação do poema é saber o que é melhor, qual escolha tomar diante de determinadas situações que a vida nos impoem. E pode passar o tempo que for, ter a idade que tivermos, no fim nunca saberemos ao certo o quê é melhor, se isto ou aquilo.

 

 

 

Deixe uma resposta